Sites Grátis no Comunidades.net

Ninjutsu Moderno 忍術


Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Votação
Em que aspecto o site está melhor elaborado?
Aprendizagem
Imagens/Apresentação
Extensão de informação
Facilidade de navegação
Ver Resultados

Rating: 2.8/5 (1070 votos)



ONLINE
1


Frase da Semana - “A vitória pertence àquele que acredita nela, e àquele que acredita nela por mais tempo.” - Pearl Harbor

Armas Tradicionais Ninjutsu

Aikuchi

Aikuchi

A Aikuchi é um Tanto (a mais pequena das espadas curtas japonesas) sem a tsuba (guarda-mão). Devido à lâmina curta, a Aikuchi e o Tanto são mais referidos como "adaga" ou "faca". Esta arma normalmente acompanhava a Katana e a Wakizashi, espadas usadas pelos Samurai e também pelos Ninja. Muito eficaz a curta distância ou na luta no chão.  Servia para arremessar também. As Aikuchi mais pequenas tal como a Kaiken e outras armas de lâmina facilmente ocultável, foram muito populares para a Yakuza (máfia japonesa) e mulheres-ninja, como arma de emergência ou suicídio.

 

 

Ashiko

Ashiko

 

Os Ashiko eram "garras" de ferro ou aço que consistiam de uma banda metálica com 4 espigões normalmente posicionados alternadamente em cima e em baixo da banda metálica. Eram usadas nos pés, da forma que vemos na imagem. Ajudavam o Ninja a escalar mais rapidamente e com mais eficácia, podendo-se também usar em conjunto com os Shuko (mais abaixo nesta página). Podiam ser usados também numa luta, pontapeando com os Ashiko colocados.

 

Bisento

Bisento

O Bisento é uma arma japonesa derivada do Kwan-Do chinês que se parece muito com uma Naginata. Consiste de uma espessa lâmina curta, montada na extremidade de uma vara longa. Sendo bastante mais pesada que uma Naginata, consta que era usada principalmente para treinar o uso da própria Naginata, habilidade conhecida como "Naginatajutsu". Usada também no campo de batalha como uma arma anti-cavalaria, era uma excelente arma para levar tanto cavalo como cavaleiro ao chão. O Bisento na foto acima é todo feito de madeira, para treino, mas a arma real em si, ostentaria a grande lâmina abaixo da mão esquerda do praticante.

 

Bo

Bo

O Bo é uma arma japonesa que consiste basicamente de um pau de um comprimento que normalmente varia entre os 180 cm e os 210 cm, podendo ser um pouco mais pequeno, sendo a medida ideal determinada pela altura de quem o usa ou pelo fim a que se destina em combate. Este bastão é geralmente feito de bambu, mas também existe muito em madeira de carvalho. A espessura pode também diferir de bastão para bastão, e a espessura ideal é determinada mais uma vez tendo em conta o porte físico de quem o usa (o tamanho das mãos, a força e rapidez de braços, etc...) e o fim a que se destina em combate.

 

 

Bo Shuriken

 
Bo Shuriken Bo Shuriken 1 Bo Shuriken 2

 

É um dardo cilíndrico, angular ou circular, com cerca de 10cm a 15cm de comprimento (normalmente), que se arremesa manualmente. Os Ninja podiam usar venenos nas pontas dos dardos, para que quando atingissem o oponente, o veneno entrasse na circulação sanguínea, afectando e atrapalhando assim o combate e adquirindo vantagem ou matando-o. Estes dardos podem também ser usadas no interior da mão para ajudar na luta corpo-a-corpo, espetando o adversário em vários pontos-chave.

 

Classificação pela forma:

 

  • Hari gata - bastonete ou agulha.
  • Kugi gata - forma de cravo.
  • Hogo gata/Te yari gata - forma de lança.
  • Kunai gata - forma de kunai.
  • Ryobari gata/Ryohashi tsurugi gata - dardo com de duas pontas.
  • Tanto gata - forma de faca.
  • Kankyuto gata - formato de palito.
  • Mesu gata - forma de grampo ornamental para o cabelo feminino (usado pelas Kunoichi).
  • Matsuba gata/Enbi ken - forma de pinheiro ou rabo de andorinha.
  • Negishi Ryu Shuriken - shuriken da Escola Negishi Ryu.
  • Kogai - utilizado como grampo-de-cabelo japonês e limpador de cera de ouvido.
  • Wari kogai - semelhante a um kogai cortado ao meio; também utilizado como hashi.
  • Umbari - peça de corte transversal e triangular confeccionada em aço.
  • Kozuka/Gokatana - pequena faca de uso geral, ou como faca de bolso.

 

 

 

Bokken

 

 Vários Bokken

 

O Bokken (do japonês boku ぼく, "madeira", e ken (けん, "espada") é uma espada de madeira japonesa, normalmente do tamanho de uma katana, usada para treinos de Kenjutsu. Também é conhecida como Bokuto ("espada de madeira"), um outro termo muito comum no Japão.

Os tipos básicos de bokken fabricados são:

  • Daito ou Tachi são bokken do tamanho de uma katana, espada longa.
  • Tanto Bo são bokken do tamanho de um tanto, espada/faca curta de mais ou menos 15 centímetros.
  • Wakizashi Bo têm o tamanho de uma wakisashi, ou seja, uma espada curta.
  • Kodachi têm o tamanho de uma kodachi, que é uma espada tamanho intermediário entre o tamanho da wakizashi e o tamanho da katana.
  • Suburito é um tipo de bokken que pode variar de tamanho mas é especialmente usado com enfoque em treino individual. É mais pesado e mais difícil de usar, desenvolvendo assim mais a musculatura e a técnica. Um famoso praticante de Suburito foi Miyamoto Musashi (considerado o melhor espadachim de todos os tempos e autor da obra de estratégia "O Livro dos 5 Anéis") no seu duelo contra Sasaki Kojiro.

 

 

Fukibari

 

Fukibari   Fukibari 2

 

Fukibari são dardos muito finos, de madeira ou de aço, com 2/3 polegadas de comprimento (5,08cm a 7,61cm de comprimento). Normalmente são disparados através de uma zarabatana, mas podem ser escondidos no interior da boca, debaixo da língua ou do céu-da-boca e disparados a curta distância do adversário, enrolando a lingua em forma de U e exalando o ar repentinamente. Diz-se que existiam vários clãs Ninja que usavam bastante esta técnica como ataque surpresa.

 

 

 

Fukiya

 

Fukiya

 

Fukiya é uma zarabatana japonesa. A Fukiya tradicional consiste de um tubo com cerca de 1,20m, que dispara dardos de cerca de 5cm até 20cm de comprimento através do sopro. Ao contrário das zarabatanas ocidentais, a Fukiya não tem uma boquilha ou dispositivo próprio para a boca. Os dardos disparados pela Fukiya chamam-se Fukibari, em japonês. Tradicionalmente, estes dardos mediam apenas duas polegadas (cerca de 5,08cm).

É considerada uma arma usada quase exclusivamente pelos Ninja.

Uma Fukiya típica de Ninjutsu mede cerca de 50cm de comprimento, ao contrário da tradicional, mas o facto de ser mais curta não afecta o alcance dos projécteis disparados. Segundo várias histórias e lendas, os Ninja usavam dardos especiais cujas pontas eram embebidas em veneno e disparavam a partir de um local escondido, sem serem vistos. A Fukiya também era por vezes usada do mesmo modo que os Shuriken, para distração ou manobra de diversão.

A zarabatana em si também servia como tubo de respiração para quando o ninja tinha que permanecer submerso num lago, rio ou fosso durante algum tempo.

Sempre houve e há a dúvida se a zarabatana será ou não mais eficaz que um arco e flecha, visto que tem um menor alcance. Nas mãos de peritos (nível de Mestre) é uma arma extremamente precisa.

 

Hanbo

 

Hanbo

 

 

O Hanbo é um bastão de cerca de 90cm de comprimento (mais ou menos o comprimento de uma bengala vulgar) e de 2,4cm a 3cm de diâmetro. Contudo, dependendo da escola ou do estilo marcial, o comprimento podia variar.

Como qualquer arma, o seu portador usa uma que seja ideal ao seu tamanho e estrutura física, optando-se normalmente por um Hanbo que pousado no chão na vertical fique mais ou menos ao nível da cintura.

As técnicas e habilidades com o Hanbo são normalmente conhecidas como Hanbojutsu. Parte da importância do uso de bastões deste tamanho para os Ninja é que este bastão tem o tamanho de uma bengala vulgar, como foi dito acima. Para além de servir apoio a uma condição física (verdadeira ou falsa) uma bengala pode rapidamente transformar-se numa arma de defesa pessoal. Mesmo as bengalas que conhecemos com um "gancho" num dos extremos podem ser utilizadas como um Hanbo, sendo a única diferença esse mesmo gancho (que pode ser utilizado para puxar, prender os movimentos do adversário, etc...). 

O Hanbo pode também ser utilizado da mesma forma que se utiliza uma katana ou ninja-to, visto que tem aproximadamente o mesmo comprimento destas duas armas, sendo que em vez de cortar ou perfurar, usam-se as mesmas técnicas mas com um efeito contundente. Também pode ser usado para bloquear ataques, ajudar a efectuar chaves e projecções e a estocar com uma das extremidades.

O Hanbo é uma arma tradicional mas é muito útil saber lidar com ele, pois paus e bastões são muito abundantes em todo o lado e qualquer um pode ser apanhado e usado como um hanbo, numa situação de defesa pessoal.

Um conhecido mestre de Ninjutsu tradicional, Masaaki Hatsumi, diz que quem desejar aprender a manejar com eficácia uma espada, deve antes familiarizar-se com um Hanbo e dominar bem as suas técnicas, visto que este bastão pode ser utilizado como se fosse uma espada japonesa (sem o fio cortante, claro...).  Antigamente, quando era usado correctamente, bloqueando os golpes de espada tocando nas laterias da lâmina e desviando o percurso do corte, era uma arma que sem dúvida poderia fazer frente e "derrotar" uma katana.

 

Hira-Shuriken

 

Hira-Shuriken

 

Hira-Shuriken é uma lâmina plana que normalmente tem mais de três pontas. São conhecidas como "estrelas ninja" no Ocidente, normalmente com três até oito pontas. Também são conhecidas apenas por Shuriken, o nome mais popular para estas lâminas, ou Shaken. Muito usadas no Japão antigo, eram usadas para distrair os inimigos, quando atiradas, com o reflexo da luz, pois podiam fazer com que o oponente prestasse atenção noutra coisa, ou quando atingissem este último, iriam causar pequenos cortes e ferimentos e causar uma interrupção no movimento do oponente, abrindo assim uma "janela de tempo" para atacar letalmente com outro meio, fosse espada ou outra arma de maior porte. Mas muito raramente o Shuriken em si era usado de forma letal, ao contrário do que se vê nos filmes e outros espectáculos relativos ao Ninjutsu ou aos Ninja. Os Ninja também podiam usar venenos nas lâminas, para que quando atingissem o oponente, o veneno entrasse na circulação sanguínea, afectando e atrapalhando assim o combate e adquirindo vantagem ou matando-o. Estas lâminas podem também ser usadas no interior da mão para ajudar na luta corpo-a-corpo, cortando ou espetando o adversário em vários pontos-chave.

 

Classificação dos Hira-Shuriken:

 

Pelas pontas

  • Nipo shaken - 2 pontas
  • Sanpo Shaken - 3 pontas
  • Shiho shaken - 4 pontas
  • Goho shaken - 5 Pontas
  • Roppo shaken - 6 pontas
  • Shichi ho shaken - 7 pontas
  • Happo shaken - 8 pontas
  • Kuho shaken - 9 pontas
  • Jippo shaken - 10 pontas
  • Ju yon po shuriken - 14 pontas

 

Pela forma

 

  • Hangetsu shaken - meia-lua
  • Hishi gata shuriken - losango
  • Senban shuriken - quadrado
  • Juji shaken - cruz
  • Tsume shaken - garra
  • Manji shaken - cruz swastika invertida (símbolo budista/xintoísta que representa a boa sorte)
  • Tatami juji shaken - dobrável com formato aberto de cruz

 

 

 

Jitte

 

Jitte

 

Jitte ou jutte significa "dez mãos". Este nome faz referência à força criada pela alavanca, capaz de desarmar ou quebrar as espadas. É uma arma usada para a pratica da arte marcial japonesa jittejutsu.

Foi muito utilizada por polícias do Japão antigo, posto ser uma arma versátil, que podia acertar no pescoço e na cabeça ao mesmo tempo, mas o seu uso primário era de ser uma espécie de "espada defensiva" que possibilitava desarmar sem matar.

Existem várias histórias sobre mestres de jittejutsu que quebraram katanas ou desarmaram os seus oponentes facilmente com a jitte.

Hoje em dia ainda existem diversos estilos de Jittejutsu. Entre eles podemos destacar o Ikkaku Ryu, que é ensinado em conjunto com o Shindo Muso Ryu Jojutsu (arte marcial japonesa de bastão médio Jo, de 1,20m ou 1,28m de comprimento).

O jitte era uma arma utilizada tanto pelos oficiais do governo de classe mais baixa, que não eram autorizados a utilizar a espada, quanto por samurais de categorias superiores. A cor do encordoamento do cabo podia designar o nível hierárquico de seu dono.

Era também utilizada pelos Ninja, em algumas situações.

 

 

Jo

 

Jo Jo 2

 

O Jo é um bastão que mede cerca de 1,20cm a 1,28cm de comprimento (mais ou menos o comprimento de um taco de bilhar) e cerca de 2,5 cm ou 3cm de diâmetro. É usado na arte marcial japonesa Jojutsu, mas também é muito usado em certas escolas de Ninjutsu tradicional. Em combate entre este bastão e a espada, a espada pode encontra-se em certa desvantagem, pois as técnicas do bastão Jo foram criadas para superar as técnicas de espada. Devido às suas características físicas, permite uma gama de movimentos bastante variada, compreendendo ataques circulares, verticais, horizontais e diagonais, e estocadas.

O Jo é uma criação totalmente japonesa. Não guarda nenhuma relação com o bastão longo oriundo da China.

 

 

Kaiken

 

Kaiken

 

 

A Kaiken (também chamada futokoro-gatana) era uma faca/adaga, bastante parecida com a Aikuchi e como a última, era muito usada pelas Kunoichi (mulher-ninja). Era usada especialmente para defesa pessoal em interiores, onde não havia espaço para usar uma katana, ninja-to ou mesmo uma wakizashi.

Na maioria dos casos, era usada apenas como uma faca de bolso, do mesmo modo que usamos um canivete hoje em dia. Os Ninja ou Kunoichi escondiam-na no interior do shozoku (espécie de kimono adaptado para o trabalho de um Ninja) ou no interior da manga do mesmo.

 

 

Katana

 

Katana

 

 

Uma Katana é um sabre/espada longa japonesa.No entanto, a palavra Katana foi incorporada na língua portuguesa no séc. XVI, após a chegada dos portugueses ao Japão. Por essa razão, nestes quase quinhentos anos, essa palavra foi perdendo a sua pronúncia japonesa, "aportuguesando-se" e ganhou novos sentidos em português, especialmente nas variantes europeia, africana e asiática, designando uma variedade de objectos como espadas, sabres ou facas de cortar mato grandes. Com o renovar do interesse pela cultura nipónica, nos vários países de língua portuguesa, nos últimos anos, a palavra "catana" reforçou o seu sentido original. Surgida no Período Muromachi, era a arma padrão dos samurais e também dos Ninja para a prática do kenjutsu, a arte de manejar a espada. Tem gume apenas de um lado, e sua lâmina é ligeiramente curva. Era usada tradicionalmente pelos samurais, acompanhada da wakizashi. A katana era usado em campo aberto, enquanto a wakizashi servia para combate no interior de edifícios. Apesar dos samurais terem desenvolvido tradicionalmente a esgrima usando uma espada manejada pelas duas mãos juntas, existem estilos de kenjutsu que possuem técnicas com ambas as espadas ao mesmo tempo, como por exemplo o Tenshin Shoden Katori Shinto Ryu e o Niten Ichi Ryu de Miyamoto Musashi. Na sua obra, Gorin No Sho (O Livro dos Cinco Anéis), Musashi advoga o uso das duas espadas, dizendo ser "indigno do samurai morrer com uma espada ainda embainhada". O conjunto das duas armas chama-se daisho, que literalmente quer dizer "grande e pequeno", e podia ser usado apenas pelos samurais, representando seu prestígio social e honra pessoal. A diferença entre a espada ninja (ninja-to) e a katana samurai dá-se na sua forma, sendo que a espada ninja tem forma recta e ponta é normalmente também recta, tendo a lâmina não tão afiada (devido à práctica do "doku no jutsu" - envenenamento). Já a espada samurai possui uma leve curvatura e ponta semi-curva, muito bem afiada. Isso deve-se à diferença de que o ninja carrega a sua espada às costas a maior parte do tempo, portanto usará um corte vertical de cima para baixo ao sacar a espada, e o samurai leva sua espada na cintura, realizando um corte transversal de baixo para cima ou na horizontal, quando saca a espada.

A Katana era muito mais do que uma arma para um samurai... era a extensão do seu corpo, da sua mente e era para si considerada a sua alma. Forjadas nos seus detalhes cuidadosamente, desde a ponta, até a curvatura da lâmina, eram trabalhadas totalmente à mão. Assim, os samurais virtuosos e honrados faziam da sua espada uma filosofia de vida. Para o samurai, a espada não era apenas um instrumento de matar pessoas, mas sim uma forma de fazer a justiça e ajudar as pessoas. A espada ultrapassava seu sentido material; simbolicamente, era como um instrumento capaz de "cortar" as impurezas da mente.

Havia ainda um sabre pequeno, chamado tanto, que era utilizado não apenas para combates, mas também para o ritual do seppuku (suicídio honroso). A diferença básica entre as três era o tamanho, tendo a Katana um comprimento de 60 a 90 cm de lâmina (hamon); a Wakizashi entre 30 a 60 cm; e o tanto um comprimento de cerca de 30 cm. Cada espadachim escolhia as espadas de acordo com as suas preferências, tanto em termos de forja, quanto em termos de comprimento e curvatura da lâmina.

As medidas das espadas japonesas são referenciadas em shaku (uma medida equivalente a 30 cm). Qualquer lâmina que possuir até um shaku é considerada um tanto; se o comprimento da lâmina for entre um e dois shaku, então ela é considerada uma shoto (é a categoria da wakizashi e da kodachi); se a lâmina possuir um comprimento maior que dois shaku, então ela é considerada uma daito (como a katana e a tachi); e, ainda, se a lâmina tiver de quatro a cinco shaku, ela é considerada uma Masamune (Katana com um punho do comprimento de três punhos).

Fora estes, existem muitas outras variantes de sabres japoneses.

Kenjutsu, Kendo, Iaido e Iaijutsu são as artes marciais comumente associadas ao manejo da Katana.

 

 

 

Kodachi

 

Kodachi Kodachi 2

 

A Kodachi é uma espada de tamanho intermediário entre a Wakizashi e a Katana. No caso da versão ninja desta arma, a lâmina é recta, ao contrário da versão samurai, em que a lâmina é ligeiramente curva. É usada principalmente para defesa pois o seu tamanho reduzido (59cm) duplica a sua velocidade em relação a espadas maiores, embora não proporcione um bom ataque. A Kodachi tem a dobra da lâmina levemente maior que a Wakizashi e um pouco mais leve, e o seu tamanho é mais aproximado com a Wakizashi do que com a Katana. É frequente ser confundida com a Wakizashi.

Actualmente, existem alguns praticantes que usam duas kodachi simultaneamente para lutarem, misturando as técnicas com estilos de outras artes marciais, como Karate, Judo e mais frequentemente o Kenpo, pois alguns registros históricos dizem que alguns Ninja da antiguidade, principalmente as Kunoichi, utilizavam essas combinações misturadas com Ninjutsu.

 

 

 

Kubotan

 

Kubotan Kubotan 1

Kubotan 2 Kubotan 3

 

 

O Kubotan é uma arma usada em várias artes marciais. O manejo do Kubotan é praticado principalmente em Ninjutsu, Krav Maga, Kobudo, Modern Arnis e Ju-Jutsu.
Fundamentalmente, o Kubotan é um "taco" curto usado como intensificador de pressão. Um Kubotan deve ser alguns centímetros mais comprido do que a largura da mão do utilizador, de modo a sobressair de ambos os lados de um punho fechado. A maior parte dos Kubotan têm 13 a 15cm de comprimento e entre 1 a 2,5cm de espessura, conforme o material. Muitos Kubotan são munidos ainda de ranhuras para se agarrarem  melhor. Alguns exemplares são pontiagudos  ou arredondados nas pontas e muitas  armas desta espécie podem ser actualmente adquiridas com uma perfuração que possibilita serem usadas como porta-chaves. Um Kubotan é feito, normalmente, de alumínio ou madeira, raras vezes também de material sintético.
A origem desta arma é discutível. Entre outras possibilidades supõe-se, porém, originária das Filipinas ou do Japão. Além de Kubotan é ainda denominada Yawara-Bo, Pasak, Dulo-dulo, pau-de-palmeira ou, mais recentemente, taco-de-bolso, simplesmente. Prováaelmente existem ainda muitas outras denominações.

Alguns Kubotan (especialmente modificados para Ninjutsu) podem ter armas ocultas no seu interior, como Bo Shuriken, Metsubushi, ou uma pequena lâmina.

O Kubotan é, actualmente, um instrumento de controlo, de grande utilidade, para as forças de segurança.

As técnicas que se praticam com um kubotan podem ser reproduzidas com qualquer objecto rígido de forma e tamanho semelhante, como uma caneta, um grampo para cabelo, etc.

 

 

 

Kunai

 

Kunai Kunai 2

 

A Kunai é uma arma ninja que consiste numa lâmina de ferro com um grande furo na base (ou pode não ter furo), destinado a amarrar cordas, originária da era Tensho no Japão. Eram destinadas ao arremesso com ou sem corda, a fim de ferir o inimigo à distância. Muito utilizada por ninjas em assassinatos. A Kunai é uma arma muito eficaz e que pode ser destinada a diversos fins. Os ninjas utilizavam-na para arremesso, para servir de uma espécie de pinos de escalada, para fazer armadilhas, as Kunai mais largas podiam ser usadas como uma espécie de espátula ou pá para escavar, etc.


 

Kusari Fundo

 

Kusari Fundo Kusari Fundo 1 Kusari Fundo 2

 

 

Kusari-Fundo é uma arma muito usada no Japão Feudal que consiste numa cadeia de elos com um peso ligado a cada extremidade da cadeia. Existem vários tamanhos e formas de elos e de pesos, pois não havia nenhuma regra definida para a construção destas armas. Outros nomes populares são Manriki-Gusari que significa "dez mil cadeias de alimentação" ou apenas Manriki ou Kusari

 

 

Partes da Kusari-Fundo:

 

A cadeia (Kusari)

 

Normalmente o comprimento da cadeia forjada pode variar de cerca de 12 polegadas (30,5cm) até 48 polegadas (1,22m). Os elos da cadeia podem ter diversos formatos, incluindo redondo, elíptico e oval. A espessura dos elos também é variada. Normalmente, o primeiro elo da cadeia anexa ao peso era redondo e muitas vezes maior e mais grosso, ao contrário dos restantes elos da cadeia.

O peso (Fundo)

 

O peso atribuído a cada extremidade da cadeia pode ter vários tamanhos e formas. Os dois pesos geralmente correspondem exactamente no tamanho e na forma, mas em alguns casos podem ser completamente diferentes um do outro, com um deles sendo muito maior do que o outro, ou tendo formas diferentes ou do outro. As formas dos pesos mais frequentes são redondo, hexagonal e retangular. O peso podia ser bastante leve ou muito pesado, variando normalmente entre 56,25 gramas a 122 gramas.

 

O Kusari-Fundo era usado em combate para defender ataques e aprisionar os membros do adversário, podendo de seguida reconduzir o ataque ou efectuar chaves e projecções com a ajuda da arma em si. Pode-se também usar os pesos das extremidades para atacar com movimentos circulares, que irão imprimir bastante força centrífuga ao peso e criar um momento linear bastante poderoso. É só imaginar sermos atingidos na cabeça (especialmente num ponto vital) por 56 a 122 de aço bruto a grande velocidade.

Em treino, para segurança dos praticantes, usa-se uma versão de corda do Kusari-Fundo, em que os pesos são recriados por nós nas extremidades.

Na actualidade, qualquer objecto do quotidiano com características funcionais iguais ou semelhantes a um Kusari-Fundo (como uma corda, um cinto, um fio de telefone, um cachecol, etc...) pode ser usado do mesmo modo e com as mesmas técnicas da arma em si para defesa pessoal (ver Armas de Ocasião).

 

 

Kusarigama

 

Kusari Gama

 

 

A Kusarigama é uma arma tradicional japonesa que consiste de uma kama (o equivalente japonês a uma foice) com uma longa corrente (2 a 4 metros de comprimento, normalmente, podendo variar conforme o utilizador ou o fim a que se destinava) presa ao cabo e um peso de aço na outra extremidade da corrente. Embora a Kusarigama seja um derivado de uma foice de agricultor, e embora a foice fosse frequentemente usada como arma pelos agricultores durante a era feudal do Japão, é importante notar que esses agricultores não usavam a Kusarigama. O seu objetivo como uma arma era muito evidente, muito diferente de uma foice, e não poderia ser ensinado abertamente. A arte de manusear a Kusarigama é chamada Kusarigamajutsu.

 

O kanji de kusarigama significa: kusari (鎖) = corrente e kama (鎌) = foice.

 

 

 

Método de uso

 

Atacar com a arma normalmente implica balançar a corrente com o peso fazendo um grande círculo sobre a cabeça (estilo cowboy), e então chicotear para frente para enlaçar a lança, espada, ou outra arma, ou até mesmo imobilizar os braços ou pernas do adversário. Isso permitia ao utilizador da Kusarigama avançar facilmente e atacar com a foice.

 

Um utilizador de Kusarigama também podia atacar com o peso directamente, da mesma forma que se ataca com o Kusari-Fundo (acima), causando ferimentos graves ou mortais ao seu adversário, enquanto ainda estava fora do alcance da espada ou lança do adversário.

 

A Kusarigama também foi empregada como uma arma anti-cerco, sendo que a corrente permitia também que a arma fosse recuperada depois de ser atirada contra a força atacante.

 

Muitos contos fictícios de Kusarigama mostram combatentes a balançar a foice com a corrente, em vez do peso de ferro. Apesar de parecer mais "espectacular", esta não é, normalmente, a utilização adequada da arma. Uma das poucas excepções a esta regra é a Houten Ryu, uma escola marcial japonesa que ensina a disciplina da Kusarigama.

 

 

Relatos históricos de Kusarigama

 

De acordo com alguns relatos, a Kusarigama é uma arma que é bem adequada contra espadas e lanças. Registos mostram que a Kusarigama foi extremamente popular no Japão Feudal, em muitas escolas, do século 12 ao século 17. O uso da Kusarigama é ainda bastante ensinado na Escola de Ninjutsu Koga Ha Kurokawa-Ryu.

 

Um notável exemplo do uso e abuso desta arma é a história do grande professor de Kusarigama Yamada Shinryukan, do século 17. Shinryukan era conhecido por ter assassinado muitos espadachins com sua arma, até que foi atraído para um arvoredo de bambu por Araki Mataemon. No interior desse arvoredo, devido ao terreno, Shinryukan não foi capaz de balançar a corrente e fugir da espada de Mataemon, e assim foi derrotado e morto com relativa facilidade.

 

Talvez um dos mais famosos utilizadores históricos da Kusarigama é Shishido Baiken. Era um espadachim de grande habilidade e foi proficiente também com a Kusarigama, mas foi morto pelo lendário guerreiro Miyamoto Musashi, quando este último atirou uma faca na direcção de Shishido enquanto balançava a corrente acima da cabeça, atingindo-o e, em seguida abateu-o com um golpe da sua espada.

 

Kyogetsu-Shogue

 

Kyogetsu-Shogue

 

Kyogetsu-Shoge, é uma arma que tem uma lâmina recta de dois gumes com uma outra lâmina curva sobressaindo num ângulo de 45º a 60º. Na base do cabo fica presa uma corda fina com cerca de 3,5m a 5,5m (também podia ser uma corrente) sendo que na outra extremidade da corda estava uma argola larga de ferro ou madeira. Pensa-se que esta arma terá sido desenvolvida como uma derivação da Kusarigama (acima).

Sendo uma arma quase exclusivamente usada pelos Ninja, o Kyogetsu-Shogue tinha muitas aplicações úteis. As lâminas servia para cortar ou estocar, snedo que as técnicas usadas eram semelhantes às usadas para a Kusarigama. A corda ou corrente podia ser usada para ajudar a escalar, aprisionar um oponente e para muitos outros fins. O longo alcance permitia aprisionar o oponente e os seus movimentos, e então obter poder de corte a uma distância segura. Com um bom treino e habilidade, esta arma podia ser usada para, a uma distância segura, enrolar a corda a uma espada (balançando a corda e argola num grande círculo sobre a cabeça, estilo cowboy e largando para a frente, enlaçando a espada) e "arrancá-la" das mãos do oponente, deixando-o desarmado e podendo até apanhar e atacá-lo com a sua própria espada.

 

 

Matsuba-Gata Shuriken

 

Matsuba-Gata Shuriken

 

Tal como o nome sugere (Matsuba-Gata Shuriken), este é um Shuriken que tem a forma de rabo de andorinha. Também é conhecido por Enbi-Gata Shuriken (Shuriken em forma de pinheiro). Pertence à classe de Hira-Shuriken (Shurikens de forma plana) ou Shaken.

 

 

 

 

Metsubushi

 

Metsubushi Metsubushi 1

Metsubushi 2 Mestubushi 3

 

Metsubushi significa, traduzindo, "destruir os olhos".

Trata-se de uma "arma" utilizada em conjunto com uma técnica Ninja utilizada para cegar ou desorientar temporária ou provisoriamente um oponente, seja para se defender ou facilitar a fuga, usando um certo tipo de pó que é atirado aos olhos.

Ao longo do tempo, foram testadas diversas misturas para compor o Metsubushi, como por exemplo a pólvora, enxofre, pimenta, pedras, cinza, venenos, entre outros. O que definia qual mistura usar era a missão, de acordo com o carácter e objectivo da mesma.

Como exemplo actual, as polícias e grupos de operações especiais, usam nas suas técnicas e tácticas as granadas "flashbang", gás CS e gás pimenta com o mesmo objectivo que o Metsubushi foi desenvolvido: desorientar, confundir, bloquear ou distrair potenciais ameaças. 

Na Lição 5 do Nível 5 do Programa Técnico está um vídeo de como fazer Metsubushi dentro de um ovo, à maneira dos antigos Ninjas do Japão Feudal. Nesse tempo, era usada uma mistura de farinha de arroz com cinza e pequenas aparas de casca de árvore, para um efeito mais "leve", mas nada como observar o vídeo para ter uma melhor ideia.

 

Outro exemplo de Metsubushi que poderemos usar nos tempos modernos será água, café quente, terra apanhada do chão, etc. Basicamente, Metsubushi é qualquer coisa que incapacite temporariamente a visão do oponente.

 

Nos tempos antigos, o Metsubushi era também por vezes soprado por uma Fukiya (zarabatana).

 

 

Naginata

 

Naginata Naginata 2

 

A Naginata é essencialmente uma lâmina japonesa montada numa haste longa. Assemelha-se a uma alabarda europeia, mas tem somente uma lâmina curva de um gume montada na sua extremidade.

O Naginatajutsu é a arte de manejar a naginata e refere-se aos estilos clássicas (Koryu) que contém esta arma em seu currículo.

Atarashii Naguinata (lit. "nova Naginata") é o nome de uma arte marcial japonesa moderna (Gendai Budo) que emprega na sua prática a arma do mesmo nome, modelada a partir de tradições clássicas que ensinam Naginatajutsu.

As origens da Naginata remontam ao Período Heian (794 A.C. até 1185 D.C.). A Naginata foi uma arma muito usada pelos Sohei, os monges guerreiros, e pelos Yamabushi, os monges da montanha que começaram a desenvolver o conjunto de habilidades e conhecimentos que hoje se conhece por Ninjutsu (tradicional).

A sua popularidade deu-se por volta do ano 1000 D.C.. Nos séculos seguintes, a popularidade da Naginata passou por altos e baixos, conforme as tácticas usadas em batalha iam evoluindo.

De qualquer forma, a importância da naginata para os samurais e ninjas pode ser atestada pela quantidade relativamente grande de estilos de Bujutsu (artes marciais; Bu = marcial, Jutsu = técnica ou arte) que a incorporaram no seu currículo, para citar alguns: Suio Ryu, Katori Shinto Ryu, Tendo Ryu, Toda-ha Buko Ryu e o Yoshin Ryu.

Posteriormente, o seu uso foi disseminado pelas mulheres japonesas das famílias Samurai (e em alguns casos, nas famílias Ninja) como uma arma que poderia ser usada na proteção dos seus lares em período de guerra, quando os homens se encontravam ausentes.

 

 

Neko-Te

 

Neko-Te Neko-Te 1

Neko-Te 2 Neko-Te 3

 

Os Neko-Te eram normalmente usados pelas Kunoichi (mulheres-ninja). Esta arma consistia de "unhas"  pontiagudas de ferro ou aço que eram presas à ponta dos dedos com uma pequena banda de couro, dando assim um efeito de garras animalescas (diferentes dos Shuko ou dos Ashiko) e aumentando os efeitos de um ataque com as mãos, através dos cortes que provocavam na pele do adversário. Muitas vezes estas armas também podiam ser embebidas em venenos poderosos. A zona ideal e preferida para atacar com os Neko-Te eram os olhos.

Para treino hoje em dia, podem-se usar Neko-Te feitos de borracha (cortando por exemplo um tubo de borracha em várias secções e cortar cada secção de maneira a dar-lhe a forma desta arma...).

 

 

Ninja-To

 

 

Ninja-To

 

Ninja-To (忍者刀), Ninjaken (忍者剣), Shinobi Katana (忍刀) (ou ainda Ninto) é uma espada de um só gume e de cerca de 65 cm de lâmina utilizada pelos Ninja desde a época Naga. É a espada mais comum e de maior reputação que um ninja pode carregar consigo.

O Ninja-To caracteriza-se por possuir uma lâmina ligeiramente mais curta, uma tsuka (punho) mais curta e um desenho rudimentar que a diferencia das armas dos samurais. Apesar do que se acredita, a lamina da Ninja-To nem sempre é totalmente recta (são ligeiramente curvas em alguns casos) e a sua tsuba (guarda-mão) é quadrada. Diferente de quaisquer sabres utilizados pelos samurais, o Ninja-To era forjado da mesma forma que as ferramentas agrícolas. As lâminas eram trabalhadas pelos ferreiros dos quais os Ninja dispunham, que não eram os mesmos aos quais recorriam os samurais. Outro motivo para a Ninja-To ser originalmente de menor qualidade é a possibilidade de descartar a espada durante ou após uma missão. O Ninja-To era usado para diversos fins e não unicamente para combater, mas também escalar, escavar, como apoio, a sua saya (bainha) também era usada para respirar em baixo de água, etc. Por ser de lâmina curta, mas levada dentro de uma bainha de tamanho normal, permitia um saque mais rápido que a katana dos Samurai. Além disso, por ser de menor peso e mais curta permitia um manejo mais ágil, sobre tudo em distâncias curtas e espaços pequenos, como no interior das casas e câmaras de castelos, fortificações, etc.

Diferente dos Samurai, que viam as suas Katanas como parte do seu corpo e da sua alma, e lhe davam nomes até mesmo de personalidades, os Ninja viam as espadas como apenas mais um instrumento que lhes podia ajudar a sobreviver, nada mais.

No Japão Feudal, a Katana era de uso restrito aos samurais, e a wakisashi ou o tanto eram mais populares dentro das pessoas abaixo da nobreza. Sabe-se que os Ninja eram inicialmente camponeses que através de alguns imigrantes chineses e com a fusão de ensinamentos Shaolin, os Ninja surgiram no Japão, mas no fundo pouco se sabe verdadeiramente sobre a origem. Uma coisa é dada como certa: Como os Ninja eram muitas vezes camponeses, artesãos, ou até mercadores, eles tinham a sua wakizashi. A wakizashi é uma espada curta, variando o comprimento da sua lâmina de 50 a 65 cm. Os Ninja simplesmente pegavam na sua wakisashi e trocavam a tsuka (punho) pela de uma Katana, ou faziam uma tsuka maior para algumas técnicas, facilitando o porte nas suas costas, cintura ou qualquer parte do corpo que seja útil e de rápido acesso. A wakizashi tem a mesma eficácia que uma Katana, e é superior em espaços menores e confinados.

Principalmente pelo facto da wakizashi ter curvatura, as técnicas de corte são mais eficazes que numa espada recta, sendo que esta última era habitualmente mais usada para defender golpes e estocar.

 

 

Shinai

Shinai

 

Um Shinai é uma espada de bambu, feita para se poder praticar artes marciais da espada como Kendo e Kenjutsu, sem causar grandes lesões ao adversário. É feita com quatro segmentos de bambu unidos por uma tira de couro, para permitir flexibilidade e absorção do impacto do golpe. É mais seguro para treino do que um Bokken, visto que este último é feito de madeira bruta e rígida.

 

 

 Shuko

 

Shuko Shuko 2

 

Shuko (lit. "Garra") ou Tekagi-Shuko (lit. "Garra de felino") era uma das muitas kakushi buki (lit. "armas ocultas") usadas pelos Ninja. Foram adaptados a partir das bagh nakh, uma arma indiana com características e funcionalidades semelhantes. A escola de Ninjutsu que mais desenvolveu o uso das Shuko foi a Togakure-Ryu.

Apesar de existirem muitas variações desta arma, ela consiste de uma banda de metal que se usa à volta da mão, e que se prende à volta do pulso com duas tiras de couro dispostas perpendicularmente. A banda de metal tem 4 (normalmente) espigões curvos que se usam na palma da mão e que têm vários propósitos defensivos, ofensivos e outros. A banda de metal em si podia ser usada para defender um golpe de espada, apanhando literalmente a lâmina da última com uma ou com as duas mãos, prendendo a lâmina entre os espigões e desarmando o adversário repentinamente, "arrancando-lhe" a espada das mãos, podendo de seguida contra-atacar com os espigões curvos no rosto do aversário ou nos antebraços, onde os espigões de ferro ou aço iriam rasgar a pele, a carne e alguns vasos sanguíneos importantes do adversário. Esta arma simbolizava literalmente o poder letal de um felino feroz, como um tigre ou uma pantera. Era também usada como ajuda para escalar, cravando os espigões, podendo usar em conjunto com os espigões dos Ashiko (mais acima nesta página) nos pés, na superfície que se escalava. O uso desta arma é ainda ensinado nos dias de hoje pela Togakure-Ryu de Masaaki Hatsumi, pela Jinenkan de Manaka Unsui, pela Genbukan de Tanemura e mais umas poucas escolas de Ninjutsu tradicional.

 

 

Shuriken

 

Shuriken 

 

Shuriken significa "espada escondida na mão" ou "lâmina escondida na mão". O termo Shuriken entende-se pelo conjunto de todas as lâminas e dardos de mão das classes Hira Shuriken e Bo Shuriken (ambos mais acima nesta página). Todos são Shuriken.

Estas armas são armas ocultas tradicionalmente japonesas e eram normalmente arremessadas, mas também podiam servir para cortar ou espetar no oponente directamente, com elas na mão. Os Shuriken eram feitos de objectos do quotidiano, como agulhas de cabelo, pregos, pequenas facas, moedas largas e placas de metal. Shuriken é o nome dado a qualquer objecto com lâmina ou apenas uma lâmina pequena que pudesse ser arremessado. As Hira Shuriken (mais conhecidas erradamente  em todo o mundo por "estrelas ninja" ou "estrelas de lançar", pois tinham e têm várias formas que não só de estrela), eram também conhecidas por Shaken.

Muito raramente o Shuriken em si era usado de forma letal, ao contrário do que se vê nos filmes e outros espectáculos relativos ao Ninjutsu ou aos Ninja. Eram usados para distrair os inimigos, quando atirados, com o reflexo da luz, pois podiam fazer com que o oponente prestasse atenção noutra coisa, ou quando atingissem este último, iriam causar pequenos cortes e ferimentos e causar uma interrupção no movimento do oponente, abrindo assim uma "janela de tempo" para atacar letalmente com outro meio, fosse espada ou outra arma de maior porte.

Para os Ninja, o Shuriken era uma arma suplementar à espada que desempenhava um papel táctico em combate. A arte de lidar e manejar o Shuriken chama-se Shurikenjutsu e sempre foi ensinada como uma parte "menor" do currículo marcial em muitas escolas de Ninjutsu tradicional e de outras artes marciais japonesas famosas, como a Yagyu Shinkage-Ryu, a Tenshin Shoden Katori Shinto-Ryū, a Itto-Ryu, a Kukishin-Ryu, e a Togakure-Ryu.

Um exemplo de "shuriken dos tempos modernos" pode ser um cartão de plástico ou plastificado, uma pequena placa de metal ou de outro material rígido quadrada ou mesmo circular, uma serra circular, etc.... Tudo o que seja de tamanho reduzido de forma a caber na mão e que possa fazer o mesmo efeito de distração e manobra de diversão, ferindo ligeiramente o oponente ou apenas desviando a sua atenção, causando de qualquer das formas uma interrupção na sua acção.

 

 

 

Tanto

 

Tanto

 

 

Tanto ("pequena espada") é uma das espadas (mais considerado espada do que faca) tradicionalmente japonesas. O Tanto data do período Heian, quando era usado principalmente como arma, mas ao longo dos anos passou a pouco e pouco a ser cada vez mais um ornamento. O uso do Tanto era praticado nas artes marciais (incluindo Ninjutsu) e era chamado de Tantojutsu. O Tanto e mesmo o Tantojutsu começaram a ressurgir no Ocidente em 1980 e durante a década seguinte (devido à prática de defesa pessoal contra adversários armados com faca), e começaram a fabricar-se facas (normalmente as chamadas tactical knives) com as lâminas do mesmo formato da lâmina do um Tanto (hoje em dia essas facas são conhecidas como facas tácticas "tipo Tanto" ou de "lâmina japonesa").

 

 

Tekko

 

Tekko

 

O Tekko (lit. "mão de ferro") teve origem em Okinawa, no Japão. É basicamente uma soqueira em versão japonesa. Esta arma aumenta a massa e o peso da mão, ampliando exponencialmente o efeito de um soco.

 

 

Tessen

 

Tessen

 

O Tessen era um leque feito com armação completamente de ferro ou aço e era chamado de "leque de guerra". As técnicas com o Tessen usadas em combate chama-se Tessenjutsu e era considerada uma habilidade marcial sobretudo de movimento, fluidez e graça. O leque era um símbolo de autoridade no Japão e o Tessen não só era um leque vulgar, era também uma arma de defesa pessoal quando o seu portador/a se encontrava desarmado de outra arma por algum motivo. Estes leques eram forjados com raios de ferro pontiagudos e cortantes, mas quando fechados, pareciam-se com qualquer outro leque. E mesmo fechados, podiam ser usados em defesa pessoal, tal como uma Yawara (abaixo) ou um Kubotan (acima). Eram mais duradouros, mais resistentes e a sua construção era mais barata. Apesar de muitos homens no Japão Feudal serem portadores de um leque (fosse ele de guerra ou não), o Tessen era usado sobretudo pelas Kunoichi (mulheres-ninja) infiltradas em castelos ou fortificações como gueishas, concubinas ou criadas, quando não podiam ostentar outras armas devido ao disfarce.

 

 

Tetsubushi

 

Tetsubushi Tetsubushi 1 Tetsubushi 2

 

 

Os Tetsubishi são objetos pontiagudos, de material natural ou não, com três ou mais pontas afiadas que, conforme caem no solo, permanecem sempre com uma das pontas virada para cima, tendo uma base estável (sendo portanto um tetraedro) e são deixados cair no chão para retardar um perseguidor, mesmo ele estando calçado (no Japão Feudal normalmente usavam-se nos interiores meias com o dedo grande separado dos outros e no exterior as mesma meias com uma sandália chamada zori) . Eram muito usados pelos Ninja e têm a grande vantagem de serem de fácil uso e não necessitarem de técnicas elaboradas. Podiam servir também para retardar perseguidores que estivessem a cavalo.

 

São correspondentes aos estrepes europeus.

Na imagem mais à direita podem-se ver Tetsubushi mais modernos que são hoje fabricados para o Ninjutsu.

 

 

 

Wakizashi

 

Wakizashi

 

 

A Wakizashi (também conhecida como Oo-wakizashi ou Naga-wakizashi) é uma espada curta japonesa, usada em conjunto com a Katana pelos samurais.

 

Era usada principalmente em espaços confinados, em combates a curta distância, onde havia menos tempo para desembainhar a arma, possibilitando assim um rápido ataque ao oponente geralmente no joelho ou outras articulações no intuito de imobilizá-lo, daí os Ninja preferirem na maior parte das situações usar esta arma ou um Ninja-To (acima) em detrimento da Katana. Essa arma era utilizada também pelos Samurai na prática do seppuku (suicídio honroso).

 

 

Yari

 

Yari

 

 

Yari é o termo japonês para lança. Muito utilizada nos campos de batalha do Japão desde a época dos primeiros imperadores japoneses. A arte marcial que se dedica à utilização da Yari chama-se Sojutsu.

 

A Yari medir de um até seis metros, sendo as mais longas usadas por soldados da infantaria (ashigaru), enquanto samurais de cargos mais elevados usavam versões menores, assim como os Ninja, mas devido ao uso que lhe davam em normalmente espaços mais pequenos.

 

As lâminas das Yari variam na forma (lâmina delgada,em cruz, em forma de lua crescente, tipo foice, etc...) e em comprimento, variando de um shaku (30,3cm) a três shaku (90,9cm).

 

Acredita-se que as Yari derivaram das lanças chinesas e se desenvolveram com as suas próprias características no Japão. Porém, mesmo sendo usadas em batalhas desde épocas remotas no Japão acredita-se que elas só se vieram a popularizar no século XIII.

 

 

 

Yawara

 

 Yawara

 

Yawara (também chamada Pasak ou Dulodulo nas artes marciais filipinas) é uma arma de origem japonesa. É basicamente uma versão mais antiga do Kubotan (acima) e é usada na prática de várias artes marciais e sistemas de defesa pessoal.

A Yawara tem origem no uso do Kongou, um objecto budista simbólico, por vários monges budistas durante o Japão Feudal. A Yawara tem a forma de uma pequeno pau de madeira cujas extremidades sobressaem cerca de 2 ou 3cm de cada lado da mão. Em alguns sistemas e artes marciais é usada em pares para ajudar em projacções, para quebrar ossos e para atacar pontos de pressão, desferindo golpes ou pressionando.

O uso da Yawara foi introduzido para agentes da polícia no anos 1940 pelo professor Frank A. Matsuyama. O professor Matsuyama também criou a sua própria versão da Yawara em 1937.

 

 

Back

 

Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net